Out 06 2011

Biografia de Domingos Rebêlo (1891-1975): Formação escolar no Colégio Fisher

Published by at 16:27 under Biografia

Domingos Rebêlo ingressou no Instituto Fisher, pertencente à Congregação do Espírito Santo, onde realizou os seus estudos primários e os primeiros anos de Liceu. Este Instituto, também conhecido como Colégio Fisher, localizava-se no Solar Fisher (actual Solar de São Joaquim) .Parte do edifício, que não era habitado pelos proprietários, foi cedido pela família Fisher aos missionários franceses que vieram para Ponta Delgada dedicar-se ao ensino.

Domingos Rebêlo estudou aqui no Colégio Fisher (actual Solar de S.Joaquim), Ponta Delgada, 1979. Foto de João Correia Rebêlo.(colecção particular)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nesta instituição, que por vezes é erroneamente conhecida de padres jesuítas, pela semelhança na austeridade disciplinar e rigor do ensino, ingressavam os filhos das famílias mais abastadas de São Miguel. Os pais de Domingos Rebêlo, pessoas de escassos recursos económicos, conseguiram que ele lá estudasse, através de contactos com o meio católico de Ponta Delgada. Como por exemplo o Padre José Rebello Cordeiro, proprietário e director do jornal “San Miguel”, e amigo de José Eduardo Rebello, pai do pequeno Domingos. Devido ao ensino ser dado por padres, confiaram-lhes o filho para receber a educação formal e simultaneamente uma educação religiosa. Neste Instituto, Domingos Rebêlo faria com colegas amizades que durariam toda a vida, como António Gaspar Read Henriques, João Maria Berquó de Aguiar (irmão da sua futura primeira esposa), e sobretudo aquele com quem sentiu mais cumplicidade e de quem sofreu mais influências, o futuro poeta Armando Côrtes-Rodrigues.

Domingos Rebêlo e grupo de colegas e professores do Colégio Fisher. Ponta Delgada, 1900. (colecção particular)

A infância marca-nos para toda a vida, e a mentalidade de Domingos Rebêlo, a sua visão religiosa e moral, foi moldada rigidamente, pela experiência que passou com os professores deste Colégio.

Domingos Rebêlo sofreu as marcas deste ambiente quase monástico, onde o dogmatismo do Concílio de Trento, não permitia quaisquer tipos de dúvidas ou questionamentos. Este Colégio foi lhe benéfico, para receber uma educação formal – no ensino primário e nos primeiros anos do secundário –  mais rigorosa e de qualidade superior aos das outras escolas de Ponta Delgada, e para alargar o seu circulo social.

Uma prática interessante e pedagógica deste Colégio, que estimulava a solidariedade e o sentido de responsabilidade, consistia em os alunos mais velhos ensinarem o que tinham aprendido aos alunos mais novos, ajudando-os nos seus deveres escolares, e desenvolvendo assim laços de amizade e entre-ajuda. Gaspar Read Henriques escrevia em 1975 no jornal “Correio dos Açores”, quando soube da morte do seu antigo colega e amigo Domingos Rebêlo, o seguinte: “ Nas antigas escolas primárias os alunos mais velhos ensinavam os mais novos. Era assim no Colégio Fisher, onde Domingos Rebêlo recebeu a incumbência de me ensinar a ler”.

Domingos Rebêlo aos 14 anos (canto inferior direito), com colegas e professor do Colégio Fisher. Ponta Delgada, 1906.(colecção particular)

Domingos Rebêlo aos 14 anos-Colégio Fisher, Ponta Delgada 1906

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Domingos Rebêlo recebeu também valores católicos que estruturam a sua mentalidade e visão moral da vida. Infelizmente, a matriz católica que recebeu foi também extremamente dogmática e inflexível, e limitou para o resto da sua vida um espírito mais crítico para qualquer aspecto relacionado com a Instituição católica, a sua história e os seus membros. Impediu a sua capacidade de questionar essa mesma instituição e as suas práticas, levando-o a uma obediência cega, e a uma aceitação acrítica do pensamento católico, o que afectará também a sua arte. Pois a arte é também uma forma de questionamento de toda a sociedade, das mentalidades, e do rumo que a humanidade percorre.

Domingos Rebêlo (sentado num ramo,centro superior da foto), com alunos e professores do Colégio Fisher. João Soares Cordeiro (no extremo direito da foto). Ponta Delgada, 1ª década do séc. XX.(colecção particular)

No Instituto Fisher, Domingos Rebêlo continuará a fazer aquilo que mais o fascina, desenhar e também pintar. Para sua sorte, isto vai ser notado e apreciado, por um dos seus professores, que não é  padre. Trata-se de João Soares Cordeiro, Mestre de Talha  –  de quem fará anos mais tarde um magnífico retrato a óleo –   que ensinava na Escola Velho Cabral, e também no Instituto Fisher. O Professor Soares Cordeiro vai acompanhar o desenvolvimento e perceber o talento inato do pequeno Domingos, desde os oito anos de idade em diante. E vai ter uma ideia, que se revelará decisiva para o futuro como pintor de Domingos Rebêlo.

 

Domingos Rebêlo – Retrato de João Soares Cordeiro, óleo sobre tela,1912 (Museu Carlos Machado)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

One response so far

One Response to “Biografia de Domingos Rebêlo (1891-1975): Formação escolar no Colégio Fisher”

  1. Telma Joana de Sousa Teixeira da Silvaon 01 Set 2014 at 11:13

    Parabéns!
    Este site continua a ensinar-me muitas coisas sobre este mestre micaelense.

Trackback URI | Comments RSS

Leave a Reply